História

Paróquia de São Joaquim e Santana

 

A gênese da história da Paróquia de São Joaquim e Santana aconteceu entre os anos de 1970 e 1973, como resultado do entendimento salutar entre o padre de São José de Mogi Mirim àquela época, Cônego Augusto Gomes Malho, e o médico mogimiriano, Dr. Hermes Netto de Araújo. Foi Dr. Hermes Netto de Araújo quem doou quatro terrenos, que hoje sustentam os alicerces da matriz da Paróquia de São Joaquim e Santana.

O pedido foi humildemente feito ao médico pelo cônego, especificamente para a edificação de uma futura casa de orações dedicada à Mãe da Virgem Maria, Sant’Ana, local que pudesse atender às necessidades dos católicos residentes na zona norte da cidade de Mogi Mirim, lugar dos atuais Jardins Primavera, Paulista, Silvânia etc. Dr. Hermes Netto de Araújo, aquiesceu ao pedido do cônego e, através de seu gesto generoso, abriu possibilidades inúmeras para a evangelização naquele lado da cidade.

No primeiro trimestre de 1979, Cônego Carlos Augusto Gomes Malho iniciou a construção da primeira edificação na terra doada, uma edícula, com cerca de oitenta metros quadrados de área. Esta obra foi abençoada e inaugurada pelo cônego em 1981, iniciando a atividade evangelizadora, com acolhimento de fiéis, missas mensais e início da catequese para Primeira Eucaristia. A primeira turma de catecúmenos formada na comunidade fez a Primeira Comunhão em 1981.

Nos anos de 1990 a atividade evangelizadora se ampliou, com a chegada da Legião de Maria e da Renovação Carismática Católica à capela da comunidade periférica. Neste período também se iniciou uma atividade quase pastoral de assistência às famílias carentes. Com a compreensão da necessidade de um espaço amplo, que pudesse abrigar maior número de fiéis, a comunidade, com benção do clero, iniciou a obra de um excelso templo.

A pedra inaugural da igreja de Santana, como prenúncio de nova paróquia em Mogi Mirim, foi assentada no ano de 2001. O projeto abrangia área de 916,82 metros quadrados. O grande incentivador leigo desse período foi senhor Darci Camilo, morador da comunidade e já falecido.

A pré-inauguração da igreja matriz da futura Paróquia de São Joaquim e Santana se deu em 28 de julho de 2002, pelo Bispo Diocesano Emérito, Dom Francisco José Zugliani, e concelebrou o então pároco de São José de Mogi Mirim, Monsenhor Gilberto Schneider.

Já no século XXI, por Decreto do Bispo de Amparo, Dom Pedro Carlos Cipolini, datado de 13 de junho de 2011, foi finalmente criada a Paróquia de São Joaquim e Santana, a quinta paróquia em Mogi Mirim. No dia seguinte, Dom Pedro Carlos Cipolini designou o primeiro pároco para São Joaquim e Santana, Padre Sidney Wilson Basaglia, natural de Guarulhos e ordenado presbítero no ano de 2003. A celebração solene de instalação ocorreu em 24 de julho de 2011.

A igreja matriz da Paróquia de São Joaquim e Santana está localizada na Rua Francisco Antonio Gonçalves, 369, no Jardim Primavera, zona norte da cidade de Mogi Mirim. Integram a nova paróquia sete comunidades. São elas: Providência de Maria – no Jardim Flamboyant; Sagrado Coração de Jesus – no Parque do Estado II; Santa Clara – no bairro de mesmo nome; Santa Luzia – na Santa Luzia; São Francisco de Assis – no Jardim Paulista; São Judas – na Vila Santa Luzia; São Marcelo – nas Chácaras São Marcelo.

Integram também a missão de São Joaquim e Santana a Capela do Cemitério da Saudade (do Município) e o Núcleo de Evangelização “Nossa Senhora de Fátima”, localizado no Condomínio Sylvia Matta de Araújo.

O primeiro grande momento da paróquia recém-criada foi a Semana Nacional da Família, que foi encerrada no domingo com procissão das Comunidades para a Matriz e consagração da nova paróquia e das famílias a Nossa Senhora da Assunção. O primeiro Batizado aconteceu no dia 04 de setembro de 2011, quando foram recebidas na graça da liberdade dos filhos de Deus – seladas na Trindade Santa – oito crianças.

A Paróquia também instituiu seu Conselho Pastoral Paroquial – CPP e no dia 7 de outubro de 2011 foi eleito e nomeado o seu primeiro coordenador. As pastorais existentes na paróquia, atualmente, são as seguintes: Catequese, Liturgia (ministros, grupos de canto, leitores, acólitos), Pastoral da Criança, Pastoral da Pessoa Idosa, Pastoral dos Jovens, a Pastoral da Família e a PASCOM. A Pastoral da Saúde está sendo formada.

Uma das realizações do ano inaugural foi a Escola da Fé, a primeira da nova paróquia. Realizou-se em janeiro de 2012, como preparação para a abertura do Ano da Fé, pelo Santo Padre Papa Bento XVI, em outubro de 2012.

Na paróquia de São Joaquim e Santana existem 53 ministros extraordinários; 65 catequistas, 25 membros da Conferência Vicentina – São Vicente de Paulo; a pastoral de preparação do Batismo conta com 10 pessoas, a Familiar com 60, a de Comunicação com 05 membros e a da Criança com 25 pessoas. O Movimento da Mãe Rainha conta com 51 missionárias. São 09 os coordenadores de grupos de jovens e há o Movimento do Terço dos Homens, com 42 integrantes. A Renovação Carismática – RCC da paróquia conta com 40 líderes engajados e existe ainda, o Grupo Esperança Viva, movimento ligado à proposta de recuperação de adictos, criado pelo programa terapêutico católico internacionalmente conhecido “Fazenda Esperança”.

A paróquia labora e muito, haja vista que são celebradas, em média, 43 missas e 25 celebrações da Palavra/mês. Os enfermos também são visitados pelos ministros, semanalmente. Os idosos são acompanhados pela Pastoral da Pessoa Idosa. O padre faz visita aos enfermos todas as segundas e quintas-feiras, no período da manhã. A Secretaria Paroquial funciona de terça a sábado.

Nascida pujante e ativa, São Joaquim e Santana é a Paróquia da Família.

 

“São Joaquim e Santana – rogai por nós”.

 

Pesquisa e texto: Carla Maria Mazotine


Go to Top